Identificando o Carnal e o Espiritual

 A Bíblia fala em crente carnal e crente espiritual.
No assunto da espiritualidade há uma certa complexidade para se definir ambas condições.

Não se define por uma mera questão técnica de observação de comportamentos, porque é possível ser espiritual, tendo um verdadeiro interesse pelo Senhor e pelo Seu Reino, ser sensível ao Espírito Santo e pender para a comunhão com Deus e apreciá-la, e ainda assim, encontrar-se em algum grau preso às coisas terrenas.

Estes crentes espirituais estão em progresso de crescimento espiritual e geralmente obtêm vitória sobre as coisas que ainda os prendem a afetos terrenos, que consideram que não poderiam ser felizes ou viverem sem tais hábitos ou posses deste mundo.
Já o crente carnal é aquele que perdeu o interesse por Deus e pelas coisas espirituais.

Seu prazer está direcionado somente para o que é terreno.
Seu tesouro está na terra e não no céu, e por conseguinte é somente nisto que se encontra o seu coração, ou seja, todos os seus afetos.
Em crentes carnais se vê muito pouco ou nenhum progresso em santificação, porque apagaram e entristeceram o Espírito Santo, com o desprezo contínuo e permanente da Sua santa pessoa divina.

Fonte: http://estudos.gospelmais.com.br/
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf
“Geraldo era um bom homem”, disse o pastor no funeral de Geraldo Stevens. “Ele amava sua família, era fiel à sua esposa, serviu seu país nas Forças Armadas, foi excelente pai, avô e um grande amigo.”
Em seguida, o pastor continuou, dizendo aos amigos e parentes reunidos que a boa vida que ele levava e as boas obras de Stevens não eram suficientes para assegurar-lhe um lugar no céu. E que o próprio Stevens teria sido o primeiro a dizer-lhes isso!
Stevens acreditava nas seguintes palavras da Bíblia: “…todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) e “…porque o salário do pecado é a morte…” (6:23). O destino final e eterno na jornada da vida não fora determinado por ele ter vivido uma vida realmente boa, mas unicamente por Jesus ter morrido em seu lugar para pagar o preço pelo pecado. Ele acreditou que cada um de nós deve aceitar pessoalmente o dom gratuito de Deus, que é “…a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (6:23).
Stevens foi um bom homem, mas nunca poderia ter sido ‘bom o suficiente’. Nós também não podemos. É somente pela graça que podemos ser salvos por meio da fé. E isso não tem absolutamente nada a ver com os nossos esforços humanos. “…é dom de Deus” (Efésios 2:8).
“Graças a Deus pelo seu dom inefável!” (2 Coríntios 9:15).
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.Vu2T4NOn.dpuf

Share:

0 comentários