Amor, Tão Grande Amor!

Não é fácil entender o amor de Deus. Na verdade, não há como entendê-lo, pois ele excede a nossa compreensão. Uma coisa podemos afirmar: tudo se resume e finda no amor. Em amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Nisto se resume a lei e os profetas, pois o fim da lei é Cristo pra justiça daqueles que crêem Nele.


Se “espremermos” a Bíblia, dela só sairá Jesus, pois todas as pessoas e os acontecimentos do velho testamento, tais como: Adão, representando a humanidade, a arca da aliança, Moises com a libertação do povo hebreu da escravidão do Egito (mundo), Noé, com a arca e os pares de animais e suas famílias, Abraão, com a oferta de seu único filho em sacrifício a Deus (e não permitido por Ele), o cordeiro imaculado (sem manchas) oferecido em favor de todos pelos pecados cometidos. Tudo e todos tipificavam a vinda de Jesus e sua ação redentora, através do seu grande Amor e sacrifício por toda humanidade.
Se “espremermos” Jesus, Dele só sairá amor, pois Ele é a essência do amor de Deus, manifestado a nós e em favor de nós. Quer aprender a amar as pessoas? Antes, receba esse Amor de Deus em seu favor, gratuitamente, sem você ao menos merecer, isso é graça! Ele nos amou primeiro.
Um cristão é reconhecido não pelas roupas que veste ou pela bíblia que carrega debaixo do braço e longe do coração, mas pelo amor que ele exerce pelas pessoas (Nisto conhecerão a todos que são meus discípulos, se vos amardes uns aos outros).
Quando recebemos esse amor incondicional que é dado a todos nós, gratuitamente, conseguimos amar as pessoas e entender o que, de fato, as levaram a pecar e, mansamente e humildemente, repassamos esse amor, certos de que Ele tem o poder de transformar as pessoas, fazendo-as voltar-se a Ele, mudando suas vidas. É como dar uma “porrada” no pecado, sem acertar o pecador.
Pois Ele, embora aborreça o pecado, ama o pecador. E não nos vê como miseráveis pecadores, mas homens e mulheres passíveis de serem libertos e salvos, através de seu grande Amor. Digamos que Ele não nos vê brancos, negros, pardos ou amarelos e sim vermelhos. Em nós, Ele vê seu sangue derramado, através de Jesus em nosso favor.
Aceitando seu amor incondicional e seu perdão redentor, fica bem mais fácil perdoar os que nos tem ofendido, pois quem quer amar a Deus, tem que, de fato, amar o seu próximo. Pois se não conseguimos amar o próximo que vemos, como amaremos a Deus o qual não vemos? Assim, como o perdão só se concretiza com atitudes de arrependimento, também o amor se manifesta com atitudes de amor, não apenas palavras. Só se ama com atos de amor.
O Amor que Deus quer que exerçamos é o mesmo amor relatado em Sua Palavra. Amor que tudo sofre, tudo espera, que não se ufana e nem se ensoberbece, amor que tudo suporta e que não busca os seus próprios interesses. Que Deus nos faça amar as pessoas, assim como Ele se fez Amor por nós todos, através de seu filho Jesus.

Share:

0 comentários