Arte com pó


Gênesis 2:1-7
Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente. —Gênesis 2:7


Quando Deus escolheu o pó como o Seu material artístico para criar Adão (Gênesis 2:7), Ele não precisou se preocupar em ficar sem a matéria-prima. De acordo com Hannah Holmes, autora de The Secret Life of Dust (A Vida Secreta do Pó), “Entre 1 e 3 bilhões de toneladas de pó do deserto são lançados para o céu anualmente. Um bilhão de toneladas encheria 14 milhões de vagões fechados de um trem que desse seis voltas à Terra pela linha do Equador.”
Ninguém precisa comprar pó, pois todos nós temos mais do que desejamos. Em minha casa, ignoro-o quanto posso. Raciocino assim: se eu não o perturbar, não será perceptível. Mas, finalmente, ele se acumula até o ponto de eu não poder mais fingir que ele não está lá. Então, pego meus produtos de limpeza e começo a removê-lo de onde quer que ele tenha se assentado.
Ao remover o pó, vejo-me refletida na superfície lisa. Então, vejo outra coisa: vejo que Deus tomou algo sem valor, o pó, e o transformou em algo de valor incalculável — você, eu e todas as outras pessoas (Gênesis 2:7).
O fato de Deus ter utilizado o pó para criar os seres humanos me faz pensar duas vezes a respeito de rotular alguém ou algo como sem valor. Talvez, exatamente a coisa que eu queira me livrar — uma pessoa ou um problema que me importuna — seja o material artístico que Deus utilizou para exibir a Sua glória.

Share:

0 comentários