A purificação da Casa de Deus


Leia Mt 21.12-13; 1Co 3.16 e 6.19
O texto bíblico de Mateus relata uma das cenas mais fortes do ministério de Jesus. É surpreendente imaginá-lo com um chicote na mão, virando mesas e expulsando comerciantes do templo.
Compartilhar: Qual seria a verdadeira motivação dos cambistas que vendiam no templo? Qual a finalidade dessa igreja prestadora de serviços: a salvação ou o donativo? A adoração ou a recompensa? A majestade ou o tesouro? Servir ao Senhor ou servir-se dele?
Em todo o Novo testamento está claro que a casa de Deus, na verdade, somos nós. Hoje nós somos o templo vivo do Senhor. Ele habita dentro de nós. Da mesma maneira que o Senhor Jesus tratou com os cambistas, vendedores e frequentadores do Templo, Ele trata conosco hoje. Nós somos a casa de Deus.
Tanto a santidade quanto o pecado são contagiantes. Aquele que está em nós é muito maior do que os que estão no mundo.
 1.O TEMPLO TEM QUE SER PURIFICADO
Uma vez que nos conscientizamos de que somos o templo do Senhor, precisamos entender ainda que, assim como Jesus purificou o Templo de Israel, nós também precisamos ser purificados de toda a impureza do pecado e da contaminação demoníaca.
Compartilhar: De que forma se faz a purificação de pecados? Em sua opinião o que nos torna aceitáveis diante de Deus? Explique.
A impureza do pecado é facilmente resolvida como vemos em 1Jo 1.9. Entretanto, como santuário do Senhor, a nossa purificação envolve também outra questão espiritual: a de demônios. Do mesmo modo que os cambistas e vendedores em frente à porta, contaminavam o templo com suas impurezas, os demônios também podem alojar-se no santuário de Deus – o crente – e contaminá-lo. Os cambistas não tinham acesso ao lugar santo, nem no Santo dos Santos, mas apenas ao pátio ou átrio de onde exerciam influência no Templo. Podemos fazer uma comparação entre as divisões do Templo de Israel e do Templo do Espírito (o ser humano). Em ambos os templos exercem as mesmas funções:
•O Santo dos Santos: corresponde ao espírito humano. É o lugar onde Deus habita.
•O lugar Santo: corresponde à alma humana. É um lugar restrito onde poucos têm acesso.
•O átrio: corresponde ao nosso corpo físico. É a parte exterior e pública, onde todos podem entrar, de livre contato.
Diante disso, podemos afirmar que quem é nascido de novo não pode ter um demônio no espírito, dividindo espaço com o Senhor. Mas existem três níveis diferentes de ação demoníaca: endemoniar, opressão e influência. Como crente, jamais você será controlado, no espírito, por demônio algum. Mas isso não impede que espíritos demoníacos grudem em você. Estar oprimido é estar privado de vida. Se temos o Senhor habitando em nós e ainda assim não conseguimos viver a vida de Deus, então o Templo do Espírito precisa ser purificado.
Em Efésios 4.26-27, Paulo nos adverte a não dar lugar ao diabo. Isso acontece toda vez que deixamos de resolver, de imediato, qualquer questão envolvendo o pecado.
Sinais de influência maligna:
•Deixar o sol se pôr sobre o pecado;
•Mau humor repentino e sem causa;
•Sentimento (ou desejo) incontrolável;
•Reações desproporcionais ao problema;
•Irracionalidade e falta de bom senso.

Share:

0 comentários