Nenhuma Alegria no Julgamento


"Diga-lhes: ‘Juro pela minha vida, palavra do Soberano Senhor, que não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam. Voltem! Voltem-se dos seus maus caminhos! Por que iriam morrer, ó nação de Israel?’" (Ezequiel 33:11)

Quando o assunto do julgamento de Deus surge, algumas pessoas dizem: "Já estava na hora!" Elas não têm nenhum problema em ver a ira de Deus sobre um mundo que rejeitou-Lhe e rejeitou a sua Palavra.

Mas, como cristãos, essa não é uma atitude que devamos ter. Na verdade, é por isso que Deus repreendeu Jonas. O Senhor disse-lhe para ir pregar aos ninivitas, que eram conhecidos por sua maldade e crueldade. Jonas não queria ir por dois motivos:
1. ele era um judeu patriota e os ninivitas eram inimigos de Israel; e
2. ele temia que, porque Deus era tão gracioso e amoroso, Ele perdoaria Nínive.
E Jonas preferiu que Nínive fosse destruída.

Então Jonas foi na direção oposta, mas depois de uma poderosa persuasão, ele finalmente foi e pregou para o povo de Nínive, esperando que ninguém ouvisse. Então Jonas se assentou nos arredores de Nínive aguardando que o julgamento de Deus viesse.

Enquanto isso, Deus criou uma grande planta que deu sombra a Jonas. Mas quando um verme veio e comeu a planta, Jonas se aborreceu. Mas o Senhor lhe disse: "Você tem pena dessa planta, embora não a tenha podado nem a tenha feito crescer. Ela nasceu numa noite e numa noite morreu. Contudo, Nínive tem mais de cento e vinte mil pessoas que não sabem nem distinguir a mão direita da esquerda, além de muitos rebanhos. Não deveria eu ter pena dessa grande cidade?" (Jonas 4:10-11)

Isso nos lembra que Deus não se deleita com a morte dos ímpios (ver Ezequiel 33:11). Tampouco deveríamos nós. Não devemos nos alegrar pelas pessoas serem julgadas, porque, francamente, todos nós merecemos ser julgados. Mas Deus nos ama. Ele quer que o conheçamos. E é a Sua natureza amar e perdoar.

Fonte:http://www.devocionaisdiarios.com/

Share:

0 comentários